fbpx

Reta final: ajudando os vestibulandos no período pré-provas


O que você quer ser quando crescer? É dado o momento em que esse questionamento não é mais distante como antes. O tão pensado futuro finalmente chegou.

No Brasil, a maior parte da grade curricular dos ensinos médio e fundamental é voltada para uma única prova: o vestibular. Por isso, os jovens costumam passar ao menos três anos de suas vidas se preparando para um dia que, até onde eles acreditam, definirá o resto de suas vidas.

Suportar horas seguidas de estudo, abrir mão de momentos de lazer, conviver com o período de pressão de resultados e da grande concorrência é difícil para qualquer um. Mas como podemos ajudar os vestibulandos durante o último mês antes das provas?

Período escolar

O ambiente escolar é uma bolha para todos nós: os amigos da vida, os professores que já nos conhecem por apelidos e a rotina conhecida há tempos trazem conforto para aqueles que não querem lidar com a infinitude de possibilidades que o futuro apresenta.

Aliás, a incerteza proposta pela vida apavora e a ideia de nos mantermos confortáveis num lugar conhecido é extremamente conveniente.

Por isso, procure compreender que a transição da escola para a faculdade ou cursinho pode ser difícil e demorada e não impeça que o adolescente sofra com essas despedidas, pelo menos por um curto período de tempo.

Efeitos psicológicos e físicos

Ansiedade, estresse e insegurança são alguns dos sintomas de quem anda sofrendo com a pressão dos vestibulares. Enquanto são criadas grandes expectativas para a vida adulta, as responsabilidades chegam com o pé na porta de todos que precisam escolher a profissão que querem seguir.

A adolescência por si só já caracteriza um momento hormonal e social conturbado. Somados a tais efeitos psicológicos, pode desencadear sérios transtornos.

Para ajudar jovens que estão em momentos complicados de crise é preciso empatia, tato e inteligência. Mostre apoio incondicional, não julgue o que se passa pela cabeça daquele adolescente em transformação e lembre-se que, embora pareça um problema superficial hoje, você já superou momentos como esse.

A contribuição familiar

O crescimento é, de fato, um processo doloroso, mas a participação da família nessa fase pode ser essencial para o amadurecimento dos mais novos.

É importante que os pais conversem com os jovens para tirar o excesso de cobrança e criar uma rotina de estudos saudável e equilibrada.

Além disso, dar aos nossos filhos o direito de falar, se expressar e dizer o que sentem pode ser um ótimo refúgio para as angústias que estão sendo armazenadas de forma solitária.

Por isso, compartilhar experiências próprias, dizer como você superou esse momento na sua época e demonstrar apoio incondicional são formas de tornar o período mais leve. Fique atento para não fazer comparações ou ameaças e demonstre confiança no seu filho!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu