fbpx

O que esperar do seu filho aos 9 anos!


O que esperar do seu filho aos 9 anos! Caio sempre foi uma criança doce e segura. Na escola, fazia amigos com facilidade e sobretudo demonstrava alegria em aprender. Frequentava a casa dos coleguinhas para tardes de brincadeiras e dormia com facilidade longe dos pais. Até que chegou a pandemia. E com ela, posteriormente o ensino remoto e a necessidade de mudar de escola. A antiga não estava se adaptando bem ao ambiente virtual.

Tudo isso aconteceu ao mesmo tempo e, dali por diante, o menino passou a demonstrar ansiedade, irritação extrema e crises de choro que não combinavam com a criança que havia sido até então.

Tantas mudanças, por si só, certamente já seriam bastante impactantes na vida de qualquer criança. No caso de Caio, chegaram pouco depois dele completar 9 anos. Uma fase de crise na infância, também conhecida como Rubicão.

Nessa idade, as crianças passam por mudanças no corpo, nos hormônios e nas emoções. Elas acordam para o fato de que a vida não é infinita, sobretudo de que os pais não são heróis imortais e de que situações tristes e extremas acontecem. Descobrem que não podem controlar isso e entram numa espécie de luto interno porque estão deixando de ser criança.

A boa notícia é que essa crise é passageira, e contudo eles sairão dela fortalecidos e mais preparados para a vida.

Dando continuidade à nossa série sobre o que esperar do desenvolvimento infantil em cada idade, vamos conhecer outras características dos 9 anos. (Clique aqui para conferir a série, anteriormente em nossos posts sobre as fases dos 4 anos, dos 5 anos, dos 6 anos, dos 7 anos  e dos 8 anos  de idade.)

Pequenos críticos

Ao longo dos 9 anos, o interesse por leitura e por programas mais “adultos” na TV cresce. Bem como a independência dos pais que aumenta e passam a demonstrar pensamento crítico mais elaborado, inclusive com críticas ao comportamento dos pais e ao de outras crianças. Podem se sentir envergonhados quando fazem algo errado, porque buscam a perfeição em tudo o que executam.

Espelho, espelho meu

A hora do banho deixa de ser uma batalha diária, para se transformar num exercício de persistência. O que significa que as crianças, aos 9 anos, não se recusam mais a tomar banho, mas enrolam um pouco para atender ao seu pedido. Uma característica que se desenvolve é a vaidade, assim sendo, elas podem passar longos momentos penteando, ou ajeitando o cabelo na frente do espelho. Uma piada entre educadores diz que, aos 9 anos, a criança nunca encontrará um espelho de que não goste! 😉

Mr. e Mrs. Self

O sentimento da individualidade está crescendo e a criança deixa de demandar tanta atenção da mãe e do pai. Ela tem noção de responsabilidade com suas tarefas e está mais centrada em si própria, o que é natural. Esse sentimento de que está crescendo faz com que se interesse mais por tarefas compartilhadas da família como forma de marcar seu papel no grupo. O respeito às regras de convívio firmadas entre os amigos, por sua vez, tendem a ganhar mais importância do que as regras famíliares.

Exaustão é o limite

No campo físico, nada vai tirá-las de uma atividade que gostem. Por isso, se não tiverem limites estabelecidos pelos adultos, elas jogam bola, pedalam, andam de patins, jogam videogame até não poder mais. O apetite aumenta na mesma proporção e a criança passa a comer a mesma quantidade de um adulto, embora esteja mais seletiva e só coma, efetivamente, aquilo de que gosta.

Como você pode guiá-lo nesse desenvolvimento?

Ensine-o a resolver problemas

Nessa fase em que demonstra interesse pelas tarefas e se descobre diante de tantas questões existenciais, é provável que a criança se depare com a com a necessidade de resolver problemas. Dos mais banais, aos mais importantes. Aprender a lidar com essa situação é fundamental para o desenvolvimento. Ela precisa compreender regras e limites, saber coletar informações de forma ampla, pensar sobre as diferentes informações e reconhecer os recursos disponíveis para lidar com os problemas. À família, cabe o papel de guiar a criança na  percepção de que existe um problema, demonstrar equilíbrio e calma e conversar sobre diferentes opções (e suas prováveis consequências) a fim de enfrentar um problema.

Estimule o autoconhecimento

As crises do Rubicão podem parecer preocupantes, num primeiro momento, mas para lidar com elas, o ingrediente principal é a paciência. Cultive o respeito mútuo, estimule o autoconhecimento em todos os membros da família, desenvolva um olhar cuidadoso, atento e amoroso sobre si mesmos e sobre os outros, para as potencialidades e dificuldades de cada um.

As informações que você acaba de ler se baseiam no conhecimento acumulado pela Mind Lab ao longo de 27 anos liderando pesquisas e desenvolvimento de tecnologias educacionais inovadoras a fim de aprimorar habilidades e competências cognitivas, sociais, emocionais e éticas.

Todo esse conhecimento embasa o Material Pedagógico 2021 da Mind Lab, onde as famílias dos alunos do programa MenteInovadora são orientadas para guiar o melhor aproveitamento dos jogos e metodologias ali propostos. Venha conhecer o Material Pedagógico 2021 e aprenda a educar seu filho para a vida!

Nesse post falamos sobre o que esperar do seu filho aos 9 anos! No próximo post, o que esperar da criança aos 10 anos de idade! Até lá!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu