fbpx

O amor nos tempos da adolescência


A adolescência é a fase da intensidade. Com tantas transformações acontecendo no corpo, nas ideias, nas visões de mundo, os jovens vivem numa espécie de montanha russa, com pontos altos de enorme euforia, e pontos baixos que beiram a depressão.

E é bem no meio desse looping emocional que costumam acontecer os primeiros relacionamentos amorosos, com todas as suas descobertas, alegrias, tristezas e frustrações.

São momentos incríveis, capazes de deixar aprendizados para o resto da vida. Mas são, também, momentos delicados, em que esse jovem intenso, impulsivo – e ao mesmo tempo vulnerável diante do que desconhece – precisa ser acompanhado de perto.

#PrecisamosFalarSobreIsso para garantir que todas essas emoções causadas pela descoberta do amor e da sexualidade sejam vividas de forma saudável e não se transformem em experiências trágicas na vida de nossos filhos.

Qual a idade certa para deixar meu filho começar a namorar?

Não existe uma idade única definida num manual sobre namoro na adolescência. Em geral, essas experiências começam quando as transformações biológicas pelas quais o corpo passa despertam no jovem a curiosidade pelo outro. É um processo de amadurecimento a que alguns podem chegar mais cedo, e outros podem demorar mais.

Mais importante do que esse número mágico é prestar atenção aos movimentos do seu filho ou filha para sentir como ele está encarando essa novidade que vai começar a aparecer no grupo de amigos já a partir dos 12, 13 anos. A forma como eles trazem esses assuntos para casa e as conversas que vocês podem ter a respeito são bons caminhos para sentir o amadurecimento deles.

Devo proibir meu filho ou filha de namorar antes dos 15 ou 16 anos?

Cada família tem seu conjunto de crenças e valores, mas é importante estar atento às transformações que acontecem no mundo em que vivemos. Tentar proibir um relacionamento amoroso tem mais potencial de levar seu filho ou filha a viver essa experiência escondida, e portanto sem a possibilidade de contar com você no momento em que ele ou ela não souberem lidar com uma dúvida ou uma frustração, por exemplo. Além disso, as formas de se relacionar vêem mudando muito já há algumas décadas.

Não necessariamente o seu filho ou filha vai viver experiências amorosas na forma de namoros simplesmente em namoros formais. O ficar, consolidado há muito tempo, tomou o lugar do namoro como experiências iniciais para os adolescentes. E hoje a tecnologia digital cria novas formas de relacionamento entre eles.

Como essas experiências amorosas e frustrações afetarão meu filho emocionalmente?

Experiências amorosas não são exclusividade da adolescência. Todos nós, na infância, as vivemos com nossos pais, mães, cuidadores que se relacionavam conosco. Essas experiências da infância nos ensinaram a amar a sermos amados. Quando chegamos à adolescência, esse aprendizado pauta nosso comportamento diante de novas experiências que agora acontecem com um corpo diferente, que amadureceu. Ao amor, é acrescentada a existência da sexualidade. Como tudo é muito novo, o adolescente ainda não sabe como lidar com a situação.

Como posso ajudar meu filho ou filha a lidar com o surgimento da sexualidade?

O jovem que está começando a viver relacionamentos amorosos e precisa aprender a lidar com sua sexualidade necessita de ajuda. Nosso papel como pais e educadores é acolhê-los e esclarecê-los. Na área do esclarecimento, você deve contar com o apoio da escola, que tem papel fundamental nessa fase da vida de nossos filhos.

Mas basicamente é importante ensinar a eles todo o conhecimento sobre sexualidade que nossa ciência já produziu. Ajudá-lo a entender o funcionamento do corpo é a melhor forma de evitar problemas como doenças sexualmente transmissíveis e gravidez precoce, por exemplo.

Como faço para acolher meu filho ou filha nos momentos de dificuldade?

Acolher significa estar aberto para ouvir, dar o ombro para o choro nos momentos de dificuldade, ter tempo para aconselhar, tirar dúvidas sobre o amor e a sexualidade. Para que isso possa fluir naturalmente, você precisa ter um canal de diálogo permanentemente aberto com o seu filho ou filha.

Preciso mesmo conversar com meu filho sobre essas questões de sexo e frustrações amorosas?

Como dissemos no início deste post, a adolescência é a fase da intensidade, da impulsividade. E nossos filhos, diante de coisas que eles não conhecem, se tornam vulneráveis. Viver frustrações no meio desse turbilhão de emoções intensas em silêncio, sem ter com quem conversar, pode ser uma situação arriscada, porque ele ainda não tem maturidade para lidar com essas emoções e pode procurar soluções ou saídas trágicas para as dores e conflitos que acontecem durante relacionamentos. Ter com quem conversar, colocar para fora as emoções negativas na forma de palavras ajuda a evitar que o jovem para o campo da ação.

E se eu não me sentir confortável com essa situação?

Geralmente essas conversas acontecem com os pais, porque são os adultos mais próximos do jovem e provavelmente em que eles mais confiam. Mas obviamente você não precisa se forçar a manter esse diálogo, se a situação não for confortável para você. Outras pessoas podem abrir esse espaço, como professores, pais de amigos e até mesmo psicólogos. O importante é que o canal de diálogo exista para ajudar o seu filho viver esse momento e as experiências de maneira saudável.

Se você quer saber mais sobre como lidar com os relacionamentos amorosos na adolescência, não perca o vídeo com o psicólogo Fabio Brinholli, que vai ao ar nos próximo dias aqui no Vida Inovadora.

E enquanto espera, aprenda um pouco mais sobre como se forma a personalidade do seu filho e assista ao vídeo com a psicológa e pedagoga Jeanine Rolim.


13 Comentários. Deixe novo

  • Sou uma menina de 11 anos e estou sozinha.minha pergunta é como posso saber se um menino gosta de mim

    Responder
    • Estar sozinha(o) pode ser doloroso nessas idades, a partir dos 30 começa-se a aceitar que isso faz até muito bem para seu desenvolvimento como pessoa.
      Respondendo sua pergunta, cada pessoa tem uma forma de demonstrar seu interesse, em geral, você aprenderá com o tempo, que os olhares, de início, lhe mostram quem tem interesse em você, o resto depende do empenho e da vergonha de vocês dois

      Responder
  • Bom…… Eu estava gostando muito de uma garota e ela também demonstrava algo! Mais o problema é, acho q ela pode estar gostando de outro e tenho medo de estar sendo iludido POR FAVOR ME AJUDEM??

    Responder
    • O tempo costuma responder tudo.
      Se possível, tente conversar com ela, de forma sincera e profunda sobre o que você pensa sobre toda esta situação de vocês.
      Você também pode conversar normalmente com ela e perguntar de quem ela gosta. Existe inúmeras maneiras de vocês conversarem sobre isso

      Responder
  • Tenho 21 anos e uma moça tem 14. Observamos um ao outro crescer, porém nos últimos tempos apareceu um interesse recíproco entre nós. Gostaria de saber se isso interfere negativamente no desenvolvimento dela, pois o que mais quero é o melhor desenvolvimento para ela

    Responder
    • Nunca sabemos se vai ou não interferir. Mas saiba que ela vai lidar com algumas situações totalmente diferente do que você possa imaginar ou acreditar.
      Ela está em período de conflitos internos, para aceitar isso você pode viver um relacionamento abusivo, ou pode ser muito feliz.

      Responder
  • Olá Tenho 14 Anos,Estou Apaixonado por uma Menina é ela tbm sente a Mesma Coisa por mim, ela tem a Mesma idade,Já tem 1 Ano,Eu me mudei de Cidade mas mantemos contato,A cada dia a minha paixão “Aumenta” Cada Vez mais, sério e muito forte oq sinto por ela,pra mim não é só “paixão ” ,Mais sim Amor Me disseram não é só “paixão de adolescência”.Eu gostaria de saber se é Capaz de existir um amor Assim por pessoas tão jovens ??

    Responder
  • Olá, tenho 15 anos, e direto ao ponto…Tenho uma namorada de 13 anos, e nós namoramos escondido, eu já até conversei com a mãe da minha namorada, mas ela não aprova nosso relacionamento 🤦🏽‍♂️, minha mãe tbm não 🤦🏽‍♂️, gostaria de tentar mudar a cabeça de ambas, mas tenho um certo medo de conversar sobre isso, só queria o apoio de alguém 🙁. Esse é o primeiro relacionamento sério que eu já tive, dela(da minha namorada) também. Elas(mães) dizem que somos muito “Novinhos” pra isso, e tbm dizem “não é está na hora ainda, primeiro os estudos”, isso é horrível 🤦🏽‍♂️💔. Tem como mudar essa situação ??😓

    Responder
    • André, tudo bem? Obrigado por nos escrever! Em primeiro lugar é importante entender que os pais já viveram diversas experiências ao longo da vida e podem compartilhar muitos aprendizados e orientações que serão de extrema importância para você. No fim das contas, o que os pais querem para seus filhos é que eles sejam felizes e realizados, para isso os protegem e criam ambientes para favorecer esse crescimento. Nem sempre da forma correta. Se na sua casa sua mãe entende que ainda não está na hora de começar a namorar porquê vocês são muito novos, precisam focar no estudos, aproveitar a vida e etc, talvez seja a hora de mostrar que uma coisa não exclui a outra. Vocês precisam se mostrar maduros e organizar uma agenda que priorize os horários de estudos e as horas de lazer, se estiver bem organizado, sobra tempo para tudo. Tente entender qual é o real problema que os adultos estão enxergando em seu relacionamento e tente resolve-lo.

      Responder
  • Olá eu tenho 15 anos e converso muito com a minha mãe sobre assuntos de relacionamento e eu já estou gostando de um menino já faz dois anos eu queria saber ao certo o que eu deveria esperar de um relacionamento ?

    Responder
  • Olá tenho 15 anos e tem uma grande história de amor,no ano de 2019 conheci um garoto no qual me apaixonei bastante.No início tive um pouco de diálogos com meus pais,sou tímida pra falar dessas coisas,mas aconteceu os dias foram se passando e eu e o garoto conversávamos escondido pelo celular.Até q chegou um dia tivemos uma conversa não muito apropriada e minha mãe acabou vendo,passou dias e então resolvi apresenta-lo aos meus pais.
    Foi muito triste e,estranho e frustrante,pois meu pai veio falar da conversa com a gente,e ent ficamos tristes pois eles nn deixaram a gente ficar juntos, somente ser amigos
    Ent resolvemos namorar escondido,já faz 6 meses q estamos juntos.
    Devo tentar mais uma vez??

    Responder
    • Manoela Frug
      novembro 6, 2019 20:31

      Iara, tudo bem?

      Obrigada por ter compartilhado essa história com a gente. Apesar de ainda não ter tido um final feliz, todas as experiências pelas quais passamos, nos ajudam a evoluir e fazem parte da nossa vida. A relação que você tem com a sua família, além de ser o elo mais importante da sua vida, ela é eterna. Por isso, é muito importante cuidar desses laços e ser transparante.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu