fbpx

Estudos acadêmicos comprovam


Estudos acadêmicos comprovam eficiência do Programa MenteInovadora

Quando o assunto é desenvolvimento de habilidades socioemocionais, uma das dúvidas mais comuns entre pais e mães de crianças e jovens em idade escolar é saber se as abordagens adotadas pela escola dos filhos são eficientes. Afinal, não basta escolher uma metodologia; é preciso ter a certeza de que ela dá resultados.

Como líder no mercado de desenvolvimento socioemocional há 14 anos no Brasil, a Mind Lab sabe que é necessário comprovar resultados. Para famílias parceiras há bastante tempo, os resultados são visíveis nas atitudes, posturas e aprendizagem de seus filhos e filhas submetidos ao Programa MenteInovadora. Para quem está entrando em contato com a metodologia pela primeira vez, porém, os relatos de bons resultados alcançados por outros estudantes, apenas, pode não ser suficiente.

Por isso, ao longo de todos esses anos, a Mind Lab fez questão de submeter a sua metodologia a avaliações externas realizadas por pesquisadores de universidades e institutos internacionais e nacionais renomados. Hoje, vamos apresentar a você uma breve linha do tempo do que esses estudos descobriram ao acompanhar o desempenho cognitivo e socioemocional de estudantes submetidos à metodologia Mind Lab.

Antes de prosseguir, porém, que tal aprender um pouco mais sobre o Programa MenteInovadora? Leia o material que disponibilizamos a você em artigos recentes:

Educação socioemocional começa em casa

Você já ouviu falar em gamificação na educação?

Como funcional o Programa MenteInovadora?

MenteInovadora: um programa com resultados comprovados

A história entre a Mind Lab e as pesquisas acadêmicas de verificação começa em 1999, cinco anos após a fundação do grupo Mind Lab em Israel.

 Naquele ano, o pesquisador Danny Gendelman conduziu um estudo intitulado Impactos dos Métodos Mind Lab para aprimorar a aprendizagem na Universidade de Northumbria, na Grã-Bretanha e concluiu: “Os métodos metacognitivos desenvolvidos pela Mind Lab e ensinados por meio de jogo de raciocínio melhoram a compreensão e a aplicação da inteligência em outros contextos propostos aos alunos”.

Cinco anos mais tarde, em 2004

Foi a vez da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, responder à seguinte pergunta: Um currículo que ensina habilidades de raciocínio pode melhorar o desempenho em testes padronizados? O pesquisador que conduziu o estudo, professor Donald Green, concluiu que o currículo Mind Lab melhorava o desempenho de estudantes tanto em testes verbais quanto em testes matemáticos.

Em 2007

O Programa MenteInovadora chegou ao Brasil. A partir daí, a equipe pedagógica da Mind Lab Brasil decidiu investir no aprofundamento de pesquisas acadêmicas que pudessem trazer dados quantitativos sobre o progresso proporcionado pela metodologia a crianças e jovens.

O primeiro estudo nessa linha, conduzido em 2009 pelo Instituto de Avaliação e Desenvolvimento Educacional, o Inade

Se propôs a medir os impactos do Programa MenteInovadora em alunos do 5º ano do Ensino Fundamental após 3 meses de aplicação do programa. Foram avaliados na pesquisa 1000 alunos de 10 escolas públicas e privadas. O estudo constatou que o número de alunos classificados nos níveis de aprendizagem adequado e avançado evoluiu 61,29% em Matemática, e 28,57% em Língua Portuguesa.

A Mind Lab comemorou o avanço, mas não se acomodou sobre o sucesso.

Já no ano seguinte, em 2010

Um novo estudo conduzido pelo Inade ampliou o número de alunos pesquisados para 3.212 e, além de Matemática e Língua Portuguesa, averiguou a evolução de alunos nos níveis adequado e avançado de aprendizagem também em Ciências Naturais. O resultado mostrou evoluções de 28,4% em Matemática, 71,6% em Língua Portuguesa e 23,2% em Ciências Naturais após três meses de aplicação do Programa MenteInovadora em alunos do 5º ano do Ensino Fundamental.

Em 2011

Nova ampliação elevou a base de alunos do 5º ano do Ensino Fundamental pesquisados para 13.500. O Inade confirmou a evolução de alunos para os níveis adequado e avançado de aprendizagem em 28,6% em Matemática, 58,1% em Língua Portuguesa e 41,6% em Ciências Naturais.

Convencidos de que em apenas 3 meses o Programa MenteInovadora já garantia ganhos de aprendizagem aos alunos, os pesquisadores decidiram averiguar o que aconteceria após um ano de aplicação do programa. Decidiram, também, verificar os ganhos para os alunos do 9º ano do Ensino Fundamental, em comparação com as provas do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e da Prova Brasil.

Esse foi o escopo do estudo realizado em 2012 pelo Inade

Que constatou evolução de 80,4% no número de alunos com níveis de aprendizagem adequado e avançado no 5º ano em Matemática e de 23,3% em Língua Portuguesa. No caso do 9º ano, a média de proficiência em Língua Portuguesa foi 25,9% superior à da média medida pelo Saeb. E 47,6% superior à da média aferida pela Prova Brasil. Em Matemática, a proficiência foi 22,4% superior no Saeb e 14,7% superior na Prova Brasil.

Mais dois estudos foram realizados pelo Inade em 2013, incluindo alunos do 6º ano, e em 2014, ambos com resultados semelhantes.

Após seis anos consecutivos de estudos comprovando a evolução constante, não restam mais dúvidas de que a metodologia Mind Lab, além de desenvolver habilidades socioemocionais, promove o desenvolvimento cognitivo dos alunos submetidos ao Programa MenteInovadora e melhora a aprendizagem em componentes curriculares.

Clique aqui para conferir todos os dados das pesquisas. 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu