fbpx

A importância de não invalidar o sentimento do seu filho


A importância de não invalidar o sentimento do seu filho.

No nosso último texto aqui no VidaInovadora, você aprendeu sobre o que é invalidação do sentimento e como ela pode se insinuar de maneira sutil na vida familiar.

Hoje, nós vamos falar sobre a importância de não invalidar as emoções do seu filho.

Para isso, vamos abordar os prejuízos causados por essa prática, que chega a ser considerada uma espécie de maus-tratos invisível.

Os prejuízos da invalidação

A invalidação do sentimento, especialmente quando praticada na infância, prejudica a qualidade dos relacionamentos familiares e piora o estado emocional da criança.

Ela atrasa o desenvolvimento da consciência e da inteligência emocional pela pessoa invalidada, abalando um dos pilares do bem-estar emocional e da saúde mental.

A criança ou jovem invalidado desenvolve a noção de que não tem direito de ficar feliz, ou triste – dependendo da situação. Isso acontece porque o sentimento dela é invalidado pela pessoa que ela julga tão importante.

Um ambiente onde a invalidação é constantemente praticada afeta a autoestima e a autoconfiança da criança ou do jovem invalidado. 

A criança invalidada não terá oportunidade de aprender a lidar com as próprias emoções, uma vez que ela se sente obrigada a reprimi-las sempre. 

Maus-tratos

Na literatura acadêmica da psicologia, alguns teóricos classificam a invalidação de sentimentos como maus-tratos invisíveis. 

Crianças e jovens submetidos à invalidação constante tendem a carregar por toda a vida sentimentos de injustiça, revolta e mágoa. Isso amplia a possibilidade de doenças mentais e patologias do comportamento, como mencionamos no texto anterior.

Como validar os sentimentos do seu filho

 É bom lembrar que a invalidação das emoções não ocorre apenas com sentimentos negativos. Às vezes, invalidamos as emoções positivas de nossos filhos.

Um exemplo clássico é aquele em que o filho chega feliz e compartilha uma conquista e nós, adultos, respondemos: “Não fez mais do que a sua obrigação”.

Veja a seguir um passo a passo de como validar os sentimentos e emoções de seu filho e, dessa forma, fortalecer o desenvolvimento socioemocional dele.

Entenda a situação

O primeiro passo para atuar na validação dos sentimentos e emoções do seu filho é identificar a situação. Qual emoção ou sentimento seu filho está vivenciando?

Nem sempre seu filho vai ser capaz de deixar isso claro para você porque reconhecer os próprios sentimentos é uma aprendizado socioemocional que se conquista ao longo da vida. Para entender melhor a situação, pergunte ao seu filho: Como você se sente? Se ele ainda não souber dar nomes aos sentimentos, cite algumas possibilidades. Você está com raiva, está triste, ficou aflito? Observe bem o semblante do seu filho. A observação é fundamental para que você possa fazer deduções mais assertivas.

Entenda a causa

Parece simples, não é mesmo? Mas, acredite, essa talvez seja a etapa de determinar o que está causando aquela emoção.

Especialmente quando lidamos com crianças pequenas, que ainda não são capazes de verbalizar essa causa. Mesmo adolescentes, muitas vezes, têm dificuldade para entender a causa do desconforto que os afeta. Outra situação comum é o adulto ter dificuldade para acreditar que algo aparentemente tão banal para ele esteja levando àquela emoção. Pergunte ao seu filho o motivo de estar se sentindo daquela maneira. Ouça com atenção, sem fazer julgamentos.

Parte importante de um processo de validação é a capacidade de ouvir com empatia. Ainda que o motivo lhe pareça uma bobagem, não verbalize isso. Se esse motivo faz com que seu filho se sinta mal, é porque tem importância para ele.  Para validar o sentimento, você precisa acolher essa importância. Se você não for capaz de compreender verdadeiramente a causa daquela emoção, não terá como validar o sentimento compartilhado por seu filho. Para isso você vai precisar da empatia, a habilidade socioemocional de se colocar no lugar do outro. Especialmente se a causa, para você, soar como desimportante.

Valide o sentimento

Validar significa mostrar ao seu filho que você entende o que ele está sentindo e que ele não está errado por se sentir assim. Verbalize essa sua compreensão e ofereça ajuda. Não diga que ele não precisa se sentir daquela maneira, porque isso seria invalidar o sentimento. Diga que você entende e quer saber de que forma pode ajudá-lo. Se você for o culpado pelo sentimento e tiver agido de forma errada, considere se desculpar.

Mas isso não é o mais importante. Muitas vezes, embora estejamos envolvidos na causa do sentimento negativo, não somos culpados por ele. Por exemplo, quando ficamos presos numa reunião de trabalho e perdemos o início de um evento em que o filho contava com a nossa presença. A sua ausência gerou o sentimento, mas a culpa não é sua.

Mais importante do que se desculpar, neste caso, é demonstrar que você presta atenção ao que ele está sentindo e compreende o sentimento. Tente sugerir uma forma de amenizar o sofrimento, se for possível, mas não caia na tentação de acabar com aquele sentimento. Validar não significa solucionar o problema, mas sim entender o sentimento e transmitir ao filho a certeza de que é legítimo se sentir daquela maneira.

É fundamental que seu filho não tente reprimir o que está sentindo. Convivendo com a emoção, ele terá a oportunidade de regulá-la.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu