fbpx

O desafio de manter um bom diálogo com os filhos


O desafio de manter um bom diálogo com os filhos. Anteriormente a leitura deste texto, faça uma pausa e responda com franqueza: você dedica mais atenção ao seu filho ou ao seu celular?

A pergunta pode parecer chocante, mas o desafio de manter um bom diálogo com os filhos aumentou muito depois da chegada dos dispositivos que nos conectam ao mundo virtual – e nos desconectam da vida real.

A comunicação – ou a falta dela – é certamente um fator determinante para o sucesso da educação dos filhos. Quantos de nós temos tempo para realmente parar e conversar com nossos filhos sobre as angústias e ansiedades deles? Qual o nível de atenção que dedicamos a eles?

É importante estabelecer um bom diálogo, ou seja, franco e aberto, desde cedo. Assim sendo, filhos adolescentes que sempre tiveram a oportunidade de conversar francamente com os pais e receberam atenção e auxílio genuínos para seus problemas tendem a confiar no diálogo mais tarde, quando as questões se tornam mais delicadas. Na via oposta, crianças que nunca encontraram espaço ou abertura com os pais não aprendem a acreditar no diálogo e tendem a se transformar em adolescentes distantes, brutos e até agressivos.

Confira a seguir algumas dicas para abrir o canal do diálogo com seus filhos:

Estimule a conversa

Cumprimente seu filho efusivamente quando o encontra depois de um período longe e então faça perguntas sobre o dia e a vida dele.

Ouça o que seu filho tem a falar

Controle a tendência de ficar preenchendo os silêncios. Ouça o que ele tem a dizer antes de colocar novas perguntas. Dessa maneira você vai realmente aprender sobre a vida dele.

Pergunte também sobre os sentimentos dele ­

Se você só pergunta sobre a escola, sobre as provas, sobre o lanche, vai dar a impressão de que só se preocupa com o que acontece ao redor dele. Faça perguntas também sobre como ele se sentiu e o que pensou diante das situações vividas.

Fale sobre você

Abertura para falar sobre suas alegrias e tristezas no dia favorecem uma postura mais aberta também do seu filho, uma vez que ele aprende pelo exemplo.

Não interrogue seu filho

Tente manter a conversa o mais natural possível. Se você notou que ele se esquivou de um assunto, dê tempo a ele. Tentar arrancar respostas com um interrogatório só o fará se fechar mais.

Diga o que é necessário

Manter a conversa natural e leve não significa fugir dos assuntos difíceis. Quando o tema se torna mais delicado, coloque pontos de vista e tente provocar a reflexão de maneira saudável, sem cobranças ou imposições excessivas.

Não banque o super-herói

Você não tem respostas imediatas para tudo. E nem é bom que tenha. Diante de um problema, tente estimular seu filho a pensar em soluções possíveis em lugar de se exaltar ou tentar resolver a questão para ele.

Se virar uma briga, aborte a conversa

Um bom diálogo pode se apresentar na forma de uma boa conversa, quando o seu filho o vê como um parceiro e confidente, alguém com quem ele se sente à vontade para contar tudo o que se passa na vida dele. Ou na forma de um debate saudável de ideias, em que pontos de vista diferentes são trocados com respeito e consideração de ambas as partes. Quando uma diferença deriva para uma briga, o diálogo deixa de existir e se estabelece um conflito. Nesse caso, o melhor é encerrar a conversa e combinar de retomá-la mais tarde, depois que os ânimos estiverem mais calmos, e com a disposição de resolver o conflito e não de ampliá-lo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu