fbpx

Três curiosidades que você provavelmente não sabia sobre videogame!


Três curiosidades que você provavelmente não sabia sobre videogame!T

Com o avanço dos meios digitais, os pais se veem cada vez mais desafiados a lidar com a quantidade e a qualidade de tempo que os pequenos passam em frente às telinhas jogando videogame.

De maneira geral, é consenso que a ‘imersão nas redes’ é prejudicial quando em excesso, no entanto, pesquisas apontam que os ‘games’ podem se tornar aliados quando o assunto é desenvolvimento de raciocínio e aprendizado. Despertou a curiosidade? Então confira as três informações que você provavelmente não sabia sobre videogames!   

1- Aprendizado e habilidades 

Além do entretenimento, videogames proporcionam novas formas de aprendizagem! A partir da exploração do lúdico, os jogos virtuais auxiliam no desenvolvimento de determinadas habilidades socioemocionais e competências, como: agilidade no raciocínio, criatividade, memorização, atenção, foco e até coordenação motora.

Vale retomar dois métodos metacognitivos da Metodologia Mind Lab como exemplos de habilidades trabalhadas: 

Método da Árvore do Pensamento

Para ganhar a partida ou passar de fase, o jogador acaba utilizando o Método da Árvore do Pensamento, pois precisa tomar decisões de forma mais consciente, autônoma e responsável, levando em consideração as prováveis consequências das ações.

Nesse processo, o cérebro é condicionado a trabalhar:

– Sua percepção, considerando a influência da imprevisibilidade. 

– A consciência da complexidade das situações.  

– Ação crítica.

Dessa forma, ele fica apto a eleger com maior chance de sucesso!  

Método da Escada

Dentro da logística de níveis, mundos e fases, os videogames imitam o funcionamento de uma escada, o que ajuda a criar, dentro da cabeça dos pequenos, a noção da gradatividade e da importância de respeitar as etapas, condicionando um pensamento tático que envolve:

– A clareza do objetivo a ser alcançado. 

– O reconhecimento da necessidade de um planejamento das ações. 

– Uma sequência, na qual cada etapa é integralmente respeitada para atingir o objetivo. 

2- Jogar videogame também é exercício!

Você sabia que jogar videogame pode ser considerado uma atividade física? Com a evolução dos aparelhos, novas tecnologias com sensor de movimento surgiram no mercado, diferenciando a experiência virtual atual dos antigos jogos que só trabalhavam os membros superiores.  

A proposta dos novos ‘games’ traz desde a dança até a prática de esportes, incentivando que o jogador mexa seu corpo de uma maneira divertida, podendo trazer benefícios para a saúde e afastando o sedentarismo.

3- A importância da evolução

Segundo o médico Gustavo Magliocca e a pediatra Ana Escobar, um dos motivos que explicam a relação dos jogos com o desenvolvimento de habilidades é a evolução.

A modernização das tecnologias possibilitou uma complexidade muito maior dentro dos ‘games’, o que exige maior ‘habilidade, movimentos maiores e harmonia corporal generalizada’ por parte dos jogadores para decifrar as partidas e obter êxito.

Afinal, o que podemos tirar de tudo isso?

De maneira geral, viver em uma sociedade digital exige que saibamos nos adaptar aos novos meios. No entanto, é sempre bom colocar a regra da parcimônia em primeiro lugar! 

Todo tipo de excesso é prejudicial, por isso, o controle e acompanhamento por parte dos pais é imprescindível para que o tempo dentro do mundo fantástico dos games não se torne uma ameaça.  

O limite de aproximadamente uma hora por dia é o mais indicado pelos especialistas para que os pequenos consigam tirar o máximo da experiência virtual através do uso consciente.

E aí, pronto para a próxima partida? Mas sem exagero, certo? E continue acompanhando as dicas da Mind Lab para sempre entender mais sobre os melhores caminhos no desenvolvimento das crianças.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu