fbpx

Responsabilidade com leveza!


Responsabilidade com leveza! Anteriormente, em nossa minissérie sobre como desenvolver responsabilidade em nossos filhos, falamos sobre a importância do diálogo, hoje trazemos algumas dicas para alcançar esse objetivo sem perder a ternura!

Converse com calma e educação

Eventualmente seu filho grita, faz graça, fala alto, canta, dança o tempo todo quando quer falar com você ou chamar sua atenção? Respire fundo. Essa é a linguagem mais natural à criança. Aprenda a ouvir, observe bem o seu filho e tente entender o que ele está tentando dizer ou demonstrar. Posteriormente, converse com calma e educação perguntando, sem berros ou broncas, e pergunte o que ele quer comunicar. Se você insistir nesse caminho, certamente ele aprenderá pelo exemplo a conversar de forma mais tranquila.

Seja compreensivo

A criança, muitas vezes, externa medos e ansiedade de forma exagerada. Não desqualifique esses sentimentos com frases como “pare de chorar”, ou “é bobagem ter medo disso”. Seja compreensivo, companheiro, e dê apoio ao seu filho, mostrando que você entende o que ele está sentindo, mas dizendo que você está ali para apoiá-lo e que tudo vai passar, pois nada é permanente.

Compartilhe responsabilidades e consequências

Explique que todos podemos fazer escolhas, mas que elas geram consequências com as quais teremos de lidar. Se ele demora mais para ir tomar banho, por exemplo, não sobrará tempo para ler na cama antes de dormir. Não há necessidade de impor castigos ou fazer ameaças. Conversar sobre essas escolhas pode ser muito mais eficiente.

Julgue menos, ensine mais

Toda criança, em algum momento, faz alguma traquinagem que não é exatamente a coisa mais certa do mundo. E nós, adultos, precisamos refrear nossa tendência a brigar com ela pelo mal feito. O primeiro passo é entender que ela não pegou o pertence do amigo, por exemplo, porque queria roubá-lo. Ele apenas achou aquele objeto bonito e pensou que poderia ficar com ele. Ensine que essa não é uma atitude boa, porque o amiguinho pode ficar triste. Faça-o refletir: se alguém pegasse algo de que ele gosta, ele não ficaria chateado? Depois ensine-o a devolver o objeto e pedir desculpas.

Trabalhe a sua autoconfiança

Pesquise, estude sobre os assuntos em pauta com seu filho, transmita a ele a segurança de quem se informa e tem mais conhecimento e propriedade para guia-lo. Quando estamos preparados para conversar sobre um tema, nos sentimos mais confiantes e diminuímos as chances agir com impulsividade e de forma bruta com nossos filhos.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu