fbpx

5 Dicas para ajudar seu filho na lição de casa, sem fazer o trabalho por eles!


O momento da lição de casa complementa o conhecimento adquirido na escola e também estimula a autonomia de estudo!

Ainda assim, os pais costumam ficar em dúvida sobre até que ponto acompanhar ou mesmo ajudar durante estas atividades. A verdade é que os filhos realmente devem ser responsáveis e fazer o máximo possível sozinhos. Isso porque eles também precisam tentar e errar para absorver seus próprios aprendizados.

Neste caso, o papel dos pais é estimular os estudos a partir de uma ótica mais saudável e prazerosa. Portanto, separamos essas 5 dicas para que você guie o seu filho nos estudos sem realizar o trabalho por eles!

 

1. Crie o ambiente adequado!

A primeira dica parece óbvia, mas por isso mesmo pode acabar sendo esquecida! A forma como você organiza a rotina em casa, incluindo tarefas e horários, irá influenciar diretamente no ritmo das crianças.

Portanto ter momento e espaço adequado para os estudos é fundamental para que eles não precisem se distrair com qualquer outra coisa que estiver acontecendo.  Por isso é ideal que a casa esteja o mais tranquila possível, fora de horários de refeições, faxina ou mesmo chegada e saída de pessoas.

Casas com hábitos desorganizados e ambientes confusos tendem a refletir no comportamento e disciplina de seus filhos.

Por incrível que pareça, muitas vezes, não atrapalhar é a melhor forma de ajudar!

 

2. Estimule a produtividade e não o esforço!

Se você é o tipo de pessoa que associa a qualidade do trabalho pela dificuldade, melhor rever os conceitos! Se esforçar demais não é sinônimo de tempo produtivo mas muito pelo contrário, pode gerar desgaste e aversão.

Portanto não foque na quantidade de horas que seu filho passa estudando e sim na qualidade de seu aprendizado, o que inclui o tempo que você passa com eles acompanhando essa etapa!

Um dos segredos da produtividade é o foco e hoje quase ninguém consegue passar muito tempo focado (principalmente os mais novos). Pior ainda se o ambiente não tiver um horário tão delimitado quanto na escola.

Para isso, existem algumas técnicas como por exemplo a do Pomodoro, que divide o tempo de atenção em torno de cada atividade por blocos, seguidos de curtos intervalos para descanso. Os momentos livres (ainda que curtos), ajudam a refrescar o cérebro e tornam a concentração cada vez mais fácil!

 

3. Entenda a linguagem dos seus filhos e promova os estímulos corretos!

Cada ser humano é único e, portanto, sua forma de aprender também. Quanto mais os pais conhecem seus filhos, mais poderão estimular seus estudos de acordo com sua individualidade.

Enquanto uma criança introvertida pode se sentir à vontade sozinha, a extrovertida pode precisar de alguns estímulos externos. Da mesma forma, as matérias com as quais não possuem muita afinidade, podem requerer um pouco mais de proximidade e acompanhamento.

Entender qual a lógica de aprendizagem de seus filhos, o que inclui como elas percebem e captam o mundo ao redor, é essencial para levar o engajamento ao máximo. Comece observando padrões para saber se eles se sentem mais à vontade lendo, ouvindo, escrevendo, fazendo e assim por diante.

Também é importante não desestimulá-los quando comentem erros. Os erros devem ser valorizados, no sentido de retomada e de ressignificado. Incentivem seus filhos a realizarem pesquisas para buscar respostas às dúvidas, seja na internet, em livros ou até mesmo perguntando aos adultos.

Vale lembrar que nós, adultos, não devemos interferir nessa construção do conhecimento dando respostas prontas e sim pesquisando ou orientando na pesquisa.

 

4. Aprofunde reflexões em torno da tarefa

As reflexões estão um passo além do estudo em si, porque permitem que eles agreguem significado e sentido pessoal em torno de seus conhecimentos.

Uma das melhores formas de se fazer isso, é conectar as atividades com a realidade. Portanto, explique o quanto aquela matéria ou conteúdo se interliga com fatos do mundo real ou mesmo conte uma história sua, envolvendo o tema ainda que indiretamente.

Deixe que eles também criem as próprias reflexões e questionamentos no lugar de chegar com perguntas e respostas prontas!

 

5. Proponha outras atividades prazerosas que se conectem com o tema

Infelizmente, para muitas crianças e jovens, os estudos ainda são vistos apenas como obrigação. Por isso, parte do papel dos pais é ajudá-los a criar uma visão positiva e até prazerosa nesse sentido.

A ideia é que eles não só a gostem mais de aprender e fazer lições, mas também busquem esse tipo de atividade por conta própria, sem a necessidade da pressão constante dos pais.

Uma dica é atrelar as lições às atividades de entretenimento e lazer (ou qualquer coisa que eles se interessem), a partir de cada conteúdo. Neste caso, valem jogos, filmes, livros de ficção e até passeios!

Assistir um filme que tenha alguma conexão com a matéria ou lição aprendida por exemplo, pode ser aquele estímulo a mais que os ajude a aumentar a motivação e o ânimo para estudar!

 

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu