fbpx

Educação bilingue ajuda ou atrapalha?


Educação bilingue ajuda ou atrapalha?

Mundo professional em rápida transformação, tecnologia digital eliminando distâncias, empresas transnacionais por todos os lados… São muitas as dúvidas na cabeça de todos nós, mas de uma coisa ninguém duvida: no futuro, ser fluente em mais de uma língua será fundamental para o sucesso na vida professional.

Pais e mães, então, se perguntam: a educação bilingue é uma boa alternative? Ela ajuda ou atrapalha no desenvolvimento cognitivo e socioemocional das crianças? Qual a idade certa para iniciá-la?

Hoje o VidaInovadora traz respostas para 6 dessas perguntas que podem ajudar a esclarecer pais e mães sobre o tema.

1. Qual a idade certa para iniciar o ensino de outro idioma?

Contudo, não há uma idade sacramentada como “o momento ideal” para iniciar o aprendizado de uma segunda língua. Baseados na aquisição da língua materna, todavia, alguns estudos de neurociência defendem que quanto mais cedo, melhor para a criança internalizar uma segunda língua. Por essa linha de pesquisa, a exposição a dois idiomas desde a mais tenra infância estimula a criança a adquirir ambas como se fossem uma só. A partir dos 6 anos de idade, o cérebro da criança passa a estruturar o conhecimento e aquelas que aprenderam duas línguas antes disso, poderão então ser consideradas, na prática, nativos em ambas.

2. A segunda língua deve ser obrigatoriamente o inglês?

Certamente muitas outras línguas poderão ser úteis no futuro e há casos de famílias que, por questões de laços e tradições, optam por línguas alternativas ao inglês. Em função da configuração econômica do mundo atual seria mais lógico apostar, entretanto, no inglês e no mandarim, que são as línguas faladas pelas maiores potências mundiais nos dias de hoje. De qualquer maneira, estudos mostram que crianças que adquirem uma segunda língua desde cedo terão, no futuro, maior facilidade e flexibilidade para aprender novos idiomas.

3. Qual o conceito da educação bilingue?

Educação bilingue é aquela que acontece principalmente num idioma que não seja o mesmo que a criança desenvolve em casa. Em geral, no Brasil, ela acontece com maior frequência em inglês. Nesse sentido, todos os componentes curriculares são ensinados pelos professores nesse segundo idioma. O importante é que a escola que adota esse modelo tenha uma proposta de trabalho estruturada para que ele seja efetivo e dê resultados.

4. Quais as vantagens de se saber mais de uma língua?

Além da facilidade maior de comunicação com pessoas de outros lugares do mundo, o bilinguismo ajuda na ampliação da memória e da capacidade de atenção, segundo um estudo realizado por pesquisadores espanhois na Universidade de Granada. Além disso, conhecer mais de um idioma leva ao conhecimento maior de outras culturas e promove a diversidade. Finalmente, a fluência completa em mais de um idioma amplia as possibilidades de estudo, especialização e a empregabilidade no exterior.

5. Existem desvantagens de uma educação bilingue?

Uma preocupação que pais e mães devem ter nesse ponto é buscar uma metodologia estruturada, que garanta que esse ensino ocorra de forma consistente. A criança deve ter contato diário, imersivo, constante e o ensino deve ser liderado por profissionais especializados. Um outro aspecto um tanto discutível, mas que pode ocorrer, é o aluno submetido a essa educação não se identificar completamente com sua cultura local, pelo fato de vivenciar a cultura de outro país na escola. Programas bem estruturados, porém, contemplam essa questão para permitir o contato da criança também com a cultura do local em que está inserida a criança.

6. A educação bilingue melhora o desenvolvimento socioemocional?

Algumas correntes sustentam que aprender duas línguas simultaneamente desde muito amplia a flexibilidade mental da criança para lidar com situações complexas e favorece o desenvolvimento de habilidades socioemocionais. Além disso, a introdução de diferentes culturas melhora a capacidade de lidar com o diferente. Neste outro post, você encontro mais detalhes de como a educação bilingue ajuda a desenvolver as habildiades socioemocionais.

Para encerrar, é importante lembrar que na primeira infância, é muito importante que a criança tenha oportunidade de brincar. Como já dissemos aqui, brincar é o trabalho da criança. Por isso, verifique se a proposta de educação bilingue que você cogita adotar leva esse aspecto em consideração e usa a brincadeira como ferramenta de aprendizagem, principalmente para crianças pequenas.

Gostou do conteúdo? Confira outras publicações e posts exclusivos no nosso grupo de Facebook. Clique aqui e faça parte.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu