fbpx

8 dicas para desenvolver a autoestima nas crianças


8 dicas para desenvolver a autoestima nas crianças. O momento de retorno ao espaço escolar vai exigir das crianças coragem para enfrentar desafios, e uma excelente capacidade de lidar com dificuldades e inseguranças. Afinal, como já dissemos neste outro post, a hora de voltar à escola está chegando, e o cenário que seu filho vai encontrar não será o mesmo do qual ele se lembra. Muitas coisas mudaram em virtude da pandemia.

Entretanto a boa notícia é que as habilidades socioemocionais necessárias para enfrentar este momento serão extremamente úteis pelo resto da vida das crianças sempre que precisarem lidar com frustrações, erros, críticas. E a melhor maneira de conquistar a autonomia, a proatividade, a coragem e a maturidade necessárias, é desenvolver a autoestima desde cedo.

Como se faz isso? Confira nossas 8 dicas para desenvolver a autoestima nas crianças:

Eduque com afeto e amorosidade

Sim, muitos de nós fomos criados dentro de um modelo autoritário que abusava da comunicação violenta e é difícil romper com esse padrão. Respire fundo, tente enxergar a raiva crescendo em você, aprenda a se controlar. Uma criança que recebe gritos e agressões verbais quando comete um erro tende a se fechar e desenvolver medo e raiva. Assim, fechada, ela não aprenderá nada com o problema. Seja afetuoso, converse com calma e ajude-a entender o que está acontecendo.

Mostre o erro e construa soluções

Uma criança erra, na quase a totalidade dos casos, por não saber que aquilo que fez não era aceitável. Diante de uma conduta inaceitável, converse com seu filho para mostrar por que ele agiu de forma errada. E ajude-o a encontrar uma solução para o problema. Ao descobrir que pode reparar um erro, a criança desenvolve confiança e sua autoestima se eleva.

Dê autonomia e responsabilidades

Uma criança estimulada a participar das tarefas cotidianas da família se sente mais capaz e desenvolve a autoestima. Assim sendo, escolha pequenas atividades adequadas à idade, sem risco de acidentes, e incentive seu filho a se responsabilizar por elas.

Elogios são tão importantes quanto a aceitação

Diante de uma boa realização de seu filho, que realmente surpreende, não hesite em elogiar. Mas não elogie apenas para inflar o ego dele. O elogio será tão mais importante quanto mais sincero for. Mais benéfico do que um elogio vazio, diante uma tarefa não tão bem executada, por exemplo, é aprender a aceitar aquela situação com amor e afeto, sem exageros, e valorizar o esforço feito. Seu filho entenderá que você o apoia, que está de fato atento a ele, e se sentirá mais desafiado a melhorar.

Encoraje seu filho com amor

Aqui, não se trata de cobrar mais e mais rendimento, seja num esporte competitivo que ele pratique, bem como nas notas das provas. Encorajar é demonstrar que você está atento a ele, às conquistas e às dificuldades. Ele saberá que pode contar com você, se sentirá amado e mais confiante diante de momentos em que comete erros.

Estabeleça limites

Toda criança precisa saber até onde pode ir, para que se sinta cuidada por seus pais. Dessa forma, ela aprende a cuidar de si, se sente segura e vai desenvolver maior amor próprio. Sabendo até onde pode ir, a confiança e autonomia crescem dentro desses limites, que podem se alargar à medida que ela amadurece.

Ensineo a lidar com frustrações

Tristeza, erros, frustrações… Tudo isso faz parte da vida. São sentimentos negativos e nenhuma criança ganha se for mantida longe deles apenas porque os pais não querem que ela sofra. Não há problema em errar, em se sentir mal por ter errado, em sentir tristeza. São sentimentos naturais. Ensine seu filho a entender que, mesmo nos piores momentos, somos capazes de encontrar saídas e soluções. Mas atenção, não resolva o problema para ele (veja a nossa última dica): guiá-lo na busca da solução é muito mais saudável.

Fuja da superproteção!

Sim, pais e mães têm a tendência de tentar criar o mundo perfeito, sem dilemas nem crises, para seus filhos. Sendo assim, combata esse desejo. Como resultado, crianças mimadas ou superprotegidas, de maneira geral, crescem com uma noção de que não são capazes de lidar sozinhas com dificuldades, de conquistar o que almejam. Evite fazer tudo por seu filho, dar todos os presentes, resolver todos os problemas. Lembre-se dos limites, de ensiná-lo a lidar com as frustrações, de encorajá-lo, tudo sempre com muito amor e carinho.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu