fbpx

Qual a visão que seus filhos têm dos professores?


Depois dos pais e familiares, em geral, os professores são os primeiros adultos com os quais as crianças passam a ter contato frequente. Portanto, uma relação que precisa ser desenvolvida à base de confiança.

De acordo com a abordagem de ensino, não é incomum que o comportamento dos docentes influencie até mesmo no engajamento dos alunos com os estudos. Isso porque a qualidade das aulas também é associada com as matérias.

Quem nunca passou a gostar mais de estudar apenas porque as aulas eram encantadoras?

Além disso, a própria postura de comunicação terá impactos na forma como as crianças e adolescentes enxergam a si mesmos. Ou seja, tudo indica que a visão que seus filhos têm dos professores terá grandes impactos para além da aprendizagem. Também afetará a autoestima que está sendo construída.

Então, de que forma os pais podem entender como funciona esta dinâmica em um momento em que não estão presentes?

Conexão emocional

Principalmente durante o Ensino Infantil e os primeiros anos do Ensino Fundamental, o contato é restrito a um ou poucos professores. Por estarem presentes na maior parte do tempo, estes adultos tendem a criar laços de conexão emocional com os estudantes.

Se este contato for acolhedor e inspirador, o reflexo serão crianças mais motivadas. Já quando o ensino é impositivo, elas podem sentir-se diminuídas ou bloqueadas. Por outro lado, pode ser que os alunos experimentem poucos limites em sala de aula e se tornem indisciplinados. Aos poucos, podem sentir dificuldades de respeitar aos mais velhos.

Assim, é muito importante que os professores tenham um profundo preparo emocional para se comunicar com estas crianças. Isso porque, por se tratar de uma fase vulnerável, tanto os incentivos quanto as críticas podem ter impactos emocionais a longo prazo.

Sabendo disso, cabe aos pais conversarem com seus filhos não apenas com interesse em suas notas. Também precisam focar em suas percepções sobre as aulas.

O inverso também vale. Durante as reuniões, os pais devem perguntar sobre o comportamento de seus filhos aos professores para entender se não há padrões de que representem algum bloqueio ou dificuldade em sala.

Valores que começam em casa

A escola deve ser uma extensão de valores que começam em casa. Se os pais forem superprotetores e os professores rígidos, a tendência é que as crianças se vejam em meio a um conflito educativo.

O ideal é que a família escolha por uma educação em sintonia com o estilo de vida já existente. Também é de responsabilidade dos pais, ensinarem o respeito a estas figuras que representam direcionamento.

Um exemplo clássico dessa quebra, é quando os professores impõem algum limite necessário em sala. Ao receberem reclamações por parte das crianças, os pais prontamente se colocam a favor dos filhos.Muitas vezes acabam desconsiderando o contexto dos acontecimentos.

Infelizmente são inúmeros os casos de agressão verbal ou mesmo físicas aos docentes de todo o Brasil. Essa postura de aversão geralmente começa por meio dos conflitos e percepções trazidas de seu contexto familiar.

Pais e escola na verdade devem formar uma equipe que trabalhe com base na colaboração e compartilhamento. Agindo em parceria, desenvolvendo ações sinérgicas que sejam verdadeiramente capazes de melhorar o rendimento dos estudantes.

No final, o ideal é que os alunos enxerguem seus professores como mentores.  Assim, poderão tirar o melhor proveito possível do processo de aprendizagem!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu