fbpx

Problemas de concentração na infância: os motivos por trás da falta de foco


Sabemos que cada vez mais crianças possuem dificuldade em manter atenção por períodos prolongados de tempo. Em paralelo, crescem os problemas de saúde relacionados a falta de foco como ansiedade e déficit de atenção (TDAH).

Então como saber se o que o seu filho precisa é de mais concentração e disciplina ou de tratamento médico? E se for o segundo caso, como identificar o verdadeiro diagnóstico?

Há casos e casos e muitas vezes a ajuda de profissionais qualificados é necessária. Por isso, é importante entender os indícios que diferenciam essas situações!

 

Falta de foco

Infelizmente, a falta de foco tornou-se um problema tão comum entre os mais novos, que já é considerado normal. Ainda assim, mesmo não sendo de fato uma doença, gera frustrações como a procrastinação constante de tarefas e o baixo desempenho na escola.

Há vários fatores que influenciam neste caso, como o próprio contexto da sociedade atual. O rápido e fácil acesso à internet pode ser um deles. Isso porque o excesso de estímulos leva as crianças a se distraírem com facilidade.

Não só devido à internet, mas também à sensação de ter sempre várias possibilidades ao mesmo tempo. Seja para comprar, para sair, para escolher, entre outros. O período de incertezas e rápidas transformações em que vivemos influencia muito nestes desiquilíbrios que acabam gerando inseguranças e agitação nas crianças.

Além disso, os próprios hábitos como o do sedentarismo e alimentação não-saudável, com excessos de açúcares pode acabar sendo prejudicial.

 

Ansiedade e TDAH

A ansiedade fora do normal, que é considerada um transtorno, também é conhecida como TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada). Já o Déficit de Atenção, pode ser identificado como TDAH. Ambos prejudicam a capacidade de concentração.

A ansiedade é mais comum do que o TDAH, mas os sintomas são semelhantes e por isso podem confundir. Especialmente porque é possível ter os dois ao mesmo tempo.

Entre as principais características de cada um estão:

Ansiedade: quando são constantes as preocupações excessivas, que geram medos sobre o futuro, porém sem base na realidade. Geralmente é acompanhada de problemas físicos e mentais como: irritabilidade, dificuldade de concentração, insônia, tensão muscular, entre outros.

Déficit de Atenção: ocorre devido ao sub-desenvolvimento em certas partes do cérebro. As crianças que apresentam esta condição são muito inquietas e distraídas. Não conseguem permanecer paradas por muito tempo, realizam movimentos bruscos e relutam-se para se dedicar a atividades prolongadas ou que exijam capacidade mental.

Apesar do quadro geral, recomenda-se a consulta a especialistas como psicólogos para identificar cada caso direcionar a melhor forma de cuidado.

 

Em busca do Equilíbrio

Os pais devem buscar identificar os sintomas que estão prejudicando a concentração dos filhos sem julgamentos e opiniões precipitadas.

O importante é entender que diferente da falta de foco comum, a ansiedade e o déficit de atenção são doenças que exigem um tratamento médico e não podem ser resolvidas apenas pela mudança de hábitos e organização. Para estes, um tratamento e uma análise mais profunda será necessária.

Ainda assim existem boas práticas comuns a todos os casos que podem ajudar e amenizar os sintomas.  Os próprios hábitos saudáveis, como exercícios, alimentação e a meditação podem fazer toda a diferença para que as crianças sintam-se mais calmas e concentradas no dia-a-dia!

Quanto mais equilibrado for o lado emocional, maiores as chances de diminuir ou reverter a situação em busca de um equilíbrio.

 


1 Comentário. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu