fbpx

A hiperconvivência na quarentena


Conheça esse fenômeno psicológico – a hiperconvivência – criado pelo isolamento social que pode afetar a harmonia familiar.

“Família, família

Papai, mamãe, titia

Família, família

Almoça junto todo dia

Nunca perde essa mania”

Os versos iniciais da música Família, lançada em 1986 pela banda de rock Titãs, trazem a nostalgia de um tempo em que a vida familiar se resumia a alguns encontros em determinados horários do dia. Em tempos de pandemia de coronavírus e confinamento em casa, essa convivência foi estendida para as 24 horas do dia, sete dias por semana, há mais de dois meses! Quem estava preparado para isso?

A nova realidade criou um fenômeno que alguns psicólogos estão chamando de ” a hiperconvivência”. Obrigadas a conviver intensamente, as famílias começam a sofrer os efeitos desse fenômeno, que se manifesta na forma de estresse, desgastes de relacionamento, brigas generalizadas e supervalorização dos aspectos negativos de cada um.Esses sintomas surgem não apenas entre casais, mas também no relacionamento entre pais e filhos, entre irmãos e também entre enteados. Nos nossos próximos textos, vamos abordar mais detalhadamente esses aspectos que variam de acordo com cada tipo de relação. Para iniciar essa série, porém, trazemos algumas dicas mais gerais que podem ajudar na harmonização do ambiente.

1 – Declare estado de emergência

Sim, estamos vivendo uma situação atípica, uma crise sobre a qual não temos controle completo. Isso certamente traz tensão e insegurança e não há nada de errado com você quando se sente impotente diante dessa situação.

2 – Entenda o que você está sentindo

O autoconhecimento é fundamental num momento como este. Para exercitá-lo, reserve algum tempo para entender o que você está sentido, preste atenção aos pensamentos que passam pela sua cabeça. Quais são os seus medos e inquietações? Conhecer esses sentimentos ajuda a prever como você vai reagir diante das situações cotidianas.Cuidar de si mesma é o primeiro passo para ganhar tranquilidade e assim, voltar a se aproximar daqueles a quem amamos.

3 – Tenha um tempo para você

Um dos grandes erros de qualquer relacionamento, seja entre casais, seja com os filhos, é acreditar que você só será um bom pai ou uma boa mãe ao se doar completamente, anulando a sua individualidade.Em tempos de confinamento, isso piora muito, porque aqueles momentos exclusivamente seus, em que você estaria naturalmente longe, no trabalho por exemplo, deixaram de existir. Crie um espaço para reconquistar um mínimo de privacidade. Um local e um horário em que você estará sozinha, cuidando do que é importante para você, seja uma videobalada com as amigas, a leitura de um livro, a prática de ioga, meditação… Você decide o que é importante para você.

4 – Valorize os momentos juntos

  1. Ao implementar a dica 3, que vai lhe garantir algum tempo de distanciamento, você abre a possibilidade para começar a saborear os momentos de convivência em família. Planeje momentos juntos, como por exemplo partidas de jogos de tabuleiro, filmes com pipoca, leitura coletiva, mini-master chef na cozinha… Conforme já falamos em outros posts, a criatividade é o limite para reconquistar o prazer dos bons momentos juntos. Como era antigamente, lembra? As crianças passavam o dia na escola, os pais passavam o dia no trabalho, e quando se encontravam para jantar juntos, ficavam felizes de poderem se reencontrar e compartilhar aquele momento. Como na música dos Titãs!

Reorganize sua hiperconvivência com nossas dicas, certamente suas relações ficarão melhores! E não perca os próximos textos desta série. Até lá.


1 Comentário. Deixe novo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu