Lidando com as emoções no trabalho

Lidando com as emoções no trabalho: quem consegue?

 

Responde pra gente: dá para se concentrar no trabalho com o filho doente em casa? E prestar atenção naquela reunião super estratégica, depois de uma discussão com a esposa? Ou pior: como manter-se motivado com um chefe crítico e arrogante? #NinguemMerece

 

É, a correria do dia a dia, a pressão por resultados e decisões a serem tomadas, metas a serem cumpridas e projetos a serem realizados nos deixam por vezes fora das nossas condições normais de temperatura e pressão (ufa!). Apesar de estarmos cansados de ouvir que precisamos saber separar a vida pessoal da vida profissional, a verdade é que isso é praticamente impossível! Somos uma única pessoa, o mesmo corpo e a mesma cabeça. Fica difícil lidar com tudo ao mesmo tempo! Mas então como controlar as emoções?

Pra começar, não existe “controlar” emoções (ainda que seu chefe pense o contrário), mas sim aprender a lidar com elas. Raiva, frustração, medo, ansiedade, inveja, ciúmes e etc fazem parte do nosso cotidiano, no trabalho, em casa e na vida. Mas é possível administrar as emoções de modo que elas não afetem negativamente você e as suas relações.

#Curiosidade: Zonas do corpo mais ativadas de acordo com cada emoção:

como as emocoes reagem no seu corpo
Fonte: PNAS – Proceedings of the National Academy of Sciences of The United States of America

(Não sei vocês, mas não é incrível como a felicidade nos preenche, literalmente?! 🙂 )

Como administrar as emoções?

O grande segredo é identificá-las, processá-las e expressá-las na medida certa. Afinal, um pouco de raiva pode ser aquele impulso de produtividade que tava faltando para terminar aquele relatório. (Já experimentou fazer isso?) Esfriar a cabeça no momento que você percebe a emoção vindo também é uma boa estratégia para não agir de forma impulsiva, evitando arrependimento e dores de cabeça depois. #ficadica

Segundo Ana Maria Rossi, diretora-presidente da International Stress Management Association (Isma- BR) “No momento em que a pessoa identifica de onde vem seu ímpeto de agressividade ou de hipersensibilidade, pode racionalizar e usar isso a seu favor. Além de não sucumbir às emoções, a pessoa as transforma positivamente!”. Lembra do relatório?

Isso chama-se Inteligência Emocional!

Daniel Goleman, autor de livros sobre o assunto, define a inteligência emocional como “a capacidade de criar motivação para si próprio e de persistir num objetivo apesar dos percalços; de controlar impulsos e saber aguardar pela satisfação de seus desejos; de se manter em bom estado espírito e de impedir que a ansiedade interfira na capacidade de raciocinar; de ser empático e autoconfiante.

Tá legal! Falando assim até parece fácil, né? A gente que sabe que não é fácil, aliás é bem difícil desenvolver a inteligência emocional e conseguir se controlar naqueles momentos que dá vontade de explodir, mas é preciso….Veja se essas dicas abaixo não podem ajudar você:

Oito passos para gerenciar suas emoções no trabalho:

1º passo: assuma a responsabilidade pela emoção que sente. Diga para si mesmo: “Eu me sinto…”

2º passo: fale sobre a situação para o outro de maneira clara e sem se alterar;

3º passo: seja direto e fale para o outro qual comportamento ou situação lhe causou desconforto;

4º passo: mostre ao outro quais foram os impactos negativos causados pela situação;

5º passo: busque cooperação, visando mudanças nos outros e em você;

6º passo: proponha novas alternativas de relacionamento para que a situação não volte a acontecer;

7º passo: negocie novas alternativas com você e com os envolvidos;

8º passo: comprometa-se, também, com a mudança e agradeça o empenho de todos.

FONTE: Portal do Instituto Brasileiro de Coaching

Tente usar essas oito dicas numa situação estressante no trabalho e veja se funciona! 🙂

Lidar com as frustrações, aceitando que não temos o controle sobre as coisas, persistir, apesar dos obstáculos para realizar nossas metas e controlar nossos impulsos para agir de forma positiva, são habilidades que podemos aprender! Não perca as esperanças!

 

Você se identificou com o assunto e está curioso sobre o desenvolvimento de habilidades socioemocionais? Preencha seus dados para saber como desenvolver essa e outras habilidades: